DIÁRIO DE BORDO – COMO FOI: RIO, BELO HORIZONTE E PETRÓPOLIS

cama petropolis

COMO FOI: RIO, BELO HORIZONTE E PETRÓPOLIS

Nossa gig aportou no Rio de Janeiro como sede nesta última semana. Viemos Eu (Foca), Ana e Yves de ônibus de Sp pro Rio e Fausto voltou para Natal para compromissos de trabalho. Tiramos a terça para passear pela cidade e não tem jeito: é sem dúvida o lugar mais lindo do mundo. Fomos ao Corcovado, Arpoador, Ipanema e ficamos moídos do passeio ( e dos shows que tínhamos feito no fim de semana anterior).

Com Fausto de volta retomamos os shows na quinta, aqui mesmo no Rio, em Botafogo, no simpático e excelente Sallon79. Essa região é a que mais concentra shows de rock independente na cidade e tem sempre alguém se movimentando pra essas bandas. Chegamos no local, montamos o merchadising e esperamos o show começar. A sala é pequena, devem caber umas 150 pessoas e deveria ter umas 80/90. Tocamos num fúria danada e foi excelente. O amigo Gabriel Thomaz dos Autoramas deu uma pintada no show, além de outros brodagens como o Marcelo Monteiro do Amplificador/Globo, turma do Menores Atos, Barizon, entre outros. Ainda tocaram os excelentes The Outs, banda muito linda de uma turma bem jovem que tem um futurão pela frente. Demais! Valeu Felipe, Robrigo e geral da Abraxas por esse rock.

Acordamos, corremos para alugar o carro e partir rumo a Petrópolis, além do show, tínhamos como missão conhecer um pouco da cidade e da região. QUE COISA INACREDITÁVEL, que cidade linda e com um clima perfeito! Ficamos realmente embasbacados. Para quem curte cerveja a região também é um polo importante (um dos mais importantes do país). Chegamos no Gypsy e fomos recebidos pela crew do espaço, lugar ótimo, bom som, bonito e estiloso. Ficamos hospedados num albergue de uma senhora portuguesa que tinha cachorros e gatos e foi diversão! O show deve ter reunido umas 60/70 pessoas mas pena que tem que ser cedo (tem que terminar antes das 23h). Também foi bem intenso e como detalhe, tive que ir para linha (só um amp disponível). Logo depois, aconteceu uma parada chatinha, um dj sem noção subiu com as coisas dele, jogando nossas coisas pro lado, pisando nas paradas e tudo mais. Um mal educado. Nunca faça isso porque é muito chato. Espere geral tirar tudo do palco para colocar suas coisas. É o mínimo. Petrópolis ficou no coração, que cidade!!! Um beijo pro Pedro, da banda paraibana Hazamat, que ficou com a gente por lá contando um pouco da história da cidade! Figuraça além de ótimo guitarrista!

380km pela frente até chegar em Belo Horizonte no dia seguinte. Estrada absurda de linda e trecho tranquilo. Fomos direto para casa do Lucas Mortimer do Festival Transborda/Pegada. Churrasco nos esperando, amigos da cidade como Bernardo (Autêntica), Luciano (DiBigode/Transborda) no rolê e ficamos por ali. Fomos pro hotel, descansamos um pouco e partimos pro ataque. A Autêntica é uma casa nova e muito bem estruturada, recomendamos muito para quem tá na rota passar por lá. Vale muito, além do que seus proprietários são pessoas interessadas em música autoral e a casa merece muito a moral da cena mineira. Abriu a noite o espetacular e roqueiro Dead Pixels do amigo Claudão Pilha. Viemos na sequência com o nosso melhor show dessa parte da tour (merchadising bombou no final) e fechando nos encontramos novamente com o Molho Negro, sempre um show poderoso. Um salve especial da noite vai para os amigos lindos e talentosos do Melhores do Mundo que foram nos assistir. Há muito tempo não nos víamos, lembrando que eles participaram do nosso segundo clip, sempre gentis e generosos com a gente. Demais! Valeu Pipo!

500km de volta pro Recreio dos Bandeirantes pra o último show dessa perna. Eu, acordei MUITO CEDO, peguei a estrada cedo porque antes do show tinha ingressos pra ir ao Maracanã ver Flamengo e Vasco (foi lindo demais mesmo o mengão perdendo). Foi correria mas deu tudo certo. Chegamos no Recreio perto das 19h no Café Etílico que já recebia um excelente público pro rock. Não tem como não ficar impactado com surpresas que nos acontecem em tour. Um fã de música saiu da Ilha do Governador até o Recreio (uns 70km atravessando a cidade) para nos ver, nos conheceu num show em Manaus, Brasil que país lindo! O A.D.V. abriu os trabalhos muito bem, o Two Plances At Once continuou o rock com muitos fãs a frente do palco e viemos na sequência com sede de tocar. Eu tava tão cansado que dei tudo o que eu tinha e fiquei lowbat no pós show. Dirigir 500km, ir direto pro Maracanã e depois ainda tocar do outro lado do Rio não é brinquedo. O Molho Negro flopou a parada com mais um ótimo show. Merchadising de novo bombou no pós show e fica nossos agradecimentos pro Victor Fábio (amigo há 20 anos) e geral que surpreendeu a gente com esse rolê excelente!

São seis shows essa semana, todos em SP. Confere!

Terça, 21 de abril – CECAC, Serrana/SP
Quarta, 22 de abril – Sesc, Bauru/SP
Sexta, 24 de abril – Asteroid, Sorocaba/SP
Sábado, 25 de abril – Tatoo Fest, Rio Claro/SP
Sábado, 25 de abril – Madhouse, Piracicaba/SP
Domingo, 26 de abril – Festival PIB, Casa das Caldeiras, São Paulo/SP

Esta entrada foi publicada em Noticias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta