COMO FOI? CAMARONES TOUR EM BRAGANÇA E SÃO PAULO/SP

Correria. Assim dá para definir os dias de segunda, terça e quarta da tour do Camarones. Na volta de Serrana até Bragança Paulista (270km), fomos avisados de que uma pauta no programa Segunda Sem Lei, na Rádio Transamérica tinha sido confirmada e teríamos que cumprir as duas atividades ao mesmo tempo. Chegamos na rodoviária de Bragança, embarquei (Foca) para São Paulo e o resto da banda ficou para tocar com o Leptospirose um pouco mais tarde.

Uma hora e meia depois já estava em São Paulo capital, mais precisamente no Cambuci na Casa Fora do eixo, esperando translado que me levou até a rádio. O Segunda Sem Lei é captaneado pela Pitty e pelo Daniel (NxZero) e é um horário que toca o que eles querem. Fiquei o programa todo comentando o setlist deles, falei do Camarones e de Natal e tocaram três músicas da banda por lá, mega divulgação para nós. Valeu casal. Enquanto isso o rock rolava solto para umas 70 pessoas no Dharma em Bragança com o Camarones e o Leptospirose agitando a segunda fria. Eu disse SEGUNDA! Eu já tinha visto o Leptospirose mas o resto da banda não e é claro que ficaram chocados com o espetáculo.

Antes das seis da manhã de terça eu já estava na rodoviária para reencontrar a trupe. Nossas atividades em Bragança ainda estavam longe de terminar, às 09 da manhã tínhamos palestra agendada para falar de música numa escola ecológica e logo depois teríamos mais um show. Quase 300 pessoas entre alunos e professores assistiram o bate-papo e mandamos o som numa friaca sem fim. Foi muito bom ver crianças batendo cabeça e sacolejando com a gente naquele espaço. Saimos energizados.

Montamos o carro e vazamos para São Paulo capital para show na Augusta que seria com o Violentango da Argentina (tocamos com eles por lá quando fizemos nossa gig hermana). Pena que por problemas com vôos devido ao vulcão chileno eles não poderam chegar a tempo. Fomos até nossa estadia na Vila Madalena, perdemos e achamos um gato da casa em que estamos hospedados (isso durou quase duas horas) e rumamos pro StudioSP.

Essa noite foi bem desafiadora para nós. Estávamos cansados, vindos de nove atividades seguidas e ainda teríamos que segurar a onda de fazer  show sozinhos por conta da ausência dos argentinos num espaço importante como é o StudioSP. Fomos lá, mandamos umas 15 faixas sem intervalos, chamamos o sexto elemento Chuck para tocar algumas e no final, com umas 200 cabeças no espaço ainda teve pedido de bis. Melhor impossível né? Missão cumprida na noite produzida pela excelente e prestativa turma do Fora do Eixo.

Sono dos justos. Meio-dia já estávamos a caminho do Estúdio da Trama. A pauta era bacana demais, passar a tarde no estúdio e fazer um webshow bacanudo seguido de uma boa entrevista. Foi nossa segunda vez por lá e sempre é excelente. Equipo de primeira, técnica solícita e gente simpática na produção, ambiente ideal. Mandamos bala e o resultado pôde ser visto ao vivo e também vai poder ser conferido via youtube mais para frente. Agora entramos na última parte da gig. Voltamos com novidades!

Esta entrada foi publicada em Noticias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta