COMO FOI? CAMARONES EM SÃO CARLOS E ARARAQUARA

Depois de dois dias seguidos em São Paulo, voltamos ao interior para prosseguir a tour. 250km de estrada e chegamos em São Carlos, na incrível sede de música do Massa Coletiva. O lugar, além de bem amplo, tem um estúdio próprio muito bem equipado e funciona como incubadora da turma toda que faz som em Sanca. Ficamos trocando ideia com o pessoal do Aeromoças e Tenistas Russas e a turma do coletivo durante a hora do almoço.

Às 16h rumamos para Rádio Ufscar para gravar um especial que vai pro ar em julho com nosso disco novo. Tocamos dez faixas e demos um grande entrevista por lá. Tudo multi-track e com softwares livres. Muito massa! Ficamos por ali confabulando e subimos para um café para esperar o show. Perto de meia-noite e com um frio de menos de oito graus chegamos ao Palquinho Maluco, um palco montado pelo Massa Coletiva no DCE da UFscar. Tava LOTADO, com umas 800 pessoas fácil. Como é que o povo sai de casa naquele frio? Fato é que mandamos forte no show para esquentar o coro e novamente com pedidos de bis terminamos bem, nosso melhor dos três shows que já fizemos em São Carlos.

Desculpem as bandas que tocaram conosco nesse dia, mas foi impossível chegar cedo para ver a banda do começo e a que fechou. Entre chegar, tocar e sair não ficamos nem uma hora por lá. MUITO FRIO! No outro dia almoçamos com o Ricardo, produtor do Festival Contato e tambem da Rádio Ufscar e ficamos fazendo hora para partir para Araraquara. Fato é que decidimos ficar o máximo possível na sede do Massa Coletiva, e só partimos para Araraquara muito perto da hora do show, também decidimos não dormir por lá e voltar para São Paulo assim que o show terminasse. De São Carlos para Araraquara é bem perto, não mais que 30km. Chegamos no espaço do show, chamado Bombar, que é bacana, com boa sonorização e belo espaço físico.

Vocês já sabem né? Nunca tem backline em shows e se você não tem um relacionamento nas cidades termina ficando na mão. Quase aconteceu em Araraquara. Não tínhamos ferragens e graças ao batera da banda que encerraria a noite, um belo quarteto de blues, conseguimos montar tudo e tocar. Pouca gente nos viu. Não mais que 20 pessoas. E dessas vinte, cinco eram de São Carlos e foram exclusivamente nos ver. Fizemos o show honrados por isso, mas pela primeira vez o cansaço atrapalhou nossa performance. Acho que estávamos mais preocupados com a volta para São Paulo. Quase 300km madrugada a dentro. Chegamos bem. Sono dos justos novamente! Voltamos para relatar a última parte da viagem no próximo post!

Esta entrada foi publicada em Noticias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

2 respostas a COMO FOI? CAMARONES EM SÃO CARLOS E ARARAQUARA

  1. Artur Pinto disse:

    Oi galera do Camarones, vim aqui deixar o meu testemunho que estava no show de vocês em Araraquara, e era um dos caras de São Carlos. Muito bom o som, pena que não puderam tocar por mais tempo. Forte abraço, e fico esperando a volta de vocês para São Carlos.

Deixe uma resposta