COMO FOI? CAMARONES E BANDINHA DI DA DÓ EM PORTO ALEGRE

Por Paulo Zé

Sim amigos foi uma festa bacana. Muito bacana.

Cerca de 130 pessoas passaram pelo Garagem Hermética na noite passada, um público qualificado que contou com a presença de artistas, músicos, diretores de cinema, Garageiros e Marinheiros de primeira viagem. A noite começou timida e terminou no caos artístico cultural que muito nos encheu de alegria. Uma festa que ficou marcada no coração de quem lá pintou.

Em um clima caseiro bem amistoso mesmo, com pessoas sentadas em todas as mesas do Garagem Hermética a noite foi tomando forma, uma pesquisa que visa melhorar as produções em POA e também qualificar o público foi elaborada e o EDU (SOMA) prontamente foi chegando na galera e colhendo informações relevantes para o desenvolvimento da cena, esta pesquisa será levada adiante nos próximos eventos e no final do ano teremos dados importantes que poderão ajudar e muito no desenvolvimento do circuito. Uma janta Vegan feita pelo chefe de cozinha Alan Chaves, foi servida na pequena e estilosa Minor House abaixo do Garagem, a Minor tem seu charme e a comida estava especialmente deliciosa, o que rendeu elogios e também um saudável papo sobra a culinária vegana e tb troca de receitas entre o pessoal da Camarones com o Alan.

A meia noite e meia, Camarones sobe no palco e dai foi só alegria, som de primeira e energia pura. O som agradou a todos que prontamente responderam com gritos, palmas e assovios ao final das músicas, muita gente veio falar que a banda era muito boa que curtiram pra caralho e de certa forma recebi parabéns pelo evento em nome de todos que o fizeram. Foram cerca de 45 minutos dançantes de rock para roqueiros, intrumental bom da porra!

Sorteamos 3 camisetas oferecidas pela nossa querida loja Back in Black (Queens of Stone Age, Homer com Mick e Keaf e uma do Mágico de Oz) um presente singelo para o querido público que compareceu ao GH.

Não sei a hora que Bandinha entrou no palco, o show foi longo mais de uma hora certamente, Teimoso com o braço quebrado dando tudo de si foi um destaque. De Resto foi o que comumente acontece nos shows da Bandinha, porém com a energia de 18 anos do Garagem Hermética acredito que tenha sido um dos shows mais NONSENSE que a Bandinha fez na vida, a interação rolou e quem tava lá se divertil a vera! O show contou com a participação da Palhaça Castanha (Paula Finn) tocando castanholas no Tango e de um solo de acordeon na Réfamilharada de um cara do público. No final ainda deu tempo pra executarmos o Jingle que o Homem Banda fez pra Ipanema FM, certamente a rádio comercial mais rock do Brasil, que foi homenageada ao vivo no palco pela força de que de para o evento. Depois de desmontar tudo carregar a van, parimos para a minha casa (hospedagem solidária), onde deu pra descançar por cerca de 2 horas antes de levar os Camarones pra rodoviária onde eles rumaram para querida e hospitaleira Santa Maria.

Foi uma noite destas noites meio mágicas que acontecem de vez em quando onde a ponte Rio Grande do Norte – Rio Grande do Sul funcionou de uma maneira Rock Nonsense delirante. Seguimos em frente, valeu a todos.

Ps. Estivemos no programa N coisas da rádio Ipanema FM conversando e tocando por meia hora e depois fomos as duas bandas tocar no Radar da TVE as 18:30 duas belas pautas que engrandeceram o dia de convivencia. Foi um prazer receber o Camarones, valeu Foca, Ana, Xande (obrigado pelas baquetas que tu me deixou de presente mano, que massa!), Cacá e Léo até breve amigos!

Esta entrada foi publicada em Noticias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta