CLIPPING: COBERTURA DO SHOW DE MARÍLIA/SP

3ª Noite Fora do Eixo: mais quente impossível

por Guilherme Blanka

Sexta-feira, 10 de junho. Um frio cortante em Marília e eu lá, quente do corre-corre delicioso que precede sempre as Noites Fora do Eixo. Quente era também a vontade do público para ver as bandas elencadas na noite. Dessa vez o Espaço do Cão Pererê recebeu Baratas Grandes (Assis-Marilia/SP), The Monkberry (Londrina/PR), Vitrola Vil (Marília/SP) e Camarones Orquestra Guitarrística (Natal/RN). Todas secas para mandar a sempre boa distorção para acalentar ainda mais os ouvidos do povo.

O Baratas Grandes, que desta vez se apresentaram como um power duo, começaram já de supetão a fazer os falantes dos cubos baterem, fritarem; músicas rápidas, dinâmicas, instantes na voz de Lucas Melo, outros na voz de Thiago Melo. Dupla de irmãos no sangue e nas batidas, gingadas, quebras rítmicas, gritos. Coisa linda!

Baratas Grande (Assis-Marília/SP), foto por Paula Mello

E a noite apenas começava. O Baratas foi a entrada perfeita para deixar o público eufórico aguardando as demais bandas. Logo depois, os brothers do Monkberryapareceram e fizeram como o prometido: mandaram um rock n’ roll com cara nova, mas que não deixava suas raízes guardadas. Com letras em inglês e um ritmo bem marcado, demonstraram que a deliciosa Londrina produz bandas boas em diversas vertentes sonoras, seja hillbilly, psycobilly, rock ‘n roll, sixties e tudo mais!

The Monkberry (Londrina/PR), foto por Gabriel Coiso

Já era o meio do evento. O miolo, aquele pedaço que já começa a deixar um gosto de quero mais. É aí que o Vitrola Vil sobe ao palco mandando seu som sem compromisso e sem firulas. O mais interessante é que a apresentação marcou a retomada da frente da banda pelo guitarrista Paulo Mopho, que ficou em stand by por um tempo. Não preciso dizer que foi quebradeira até a tampa, né. Enquanto Franja, Guilherme e Lucas levavam a melodia, Paulão esfregava a guitarra nos amps, chão, corpo e até no teto! É disso que o povo gosta! (eu estava vibrante ao fundo!)

Vitrola Vil (Marília/SP), foto por Paula Mello

Para finalizar a parte sonora, sobe ao palco o Camarones Orquestra Guitarrística, para fechar qualquer boca que dissesse que a noite não foi boa. O som da banda é de pirar. Energia ramoníaca, swingadas surf, efeitos eletrônicos. Som autoral de qualidade com a energia que uma Noite Fora do Eixo precisa para terminar.

Camarones Orquestra Guitarrística (Natal/RN), foto por Paula Mello

Não posso terminar sem citar as outras áreas do evento. Reinaugurando o porão do Cão Pererê, armamos a região de negócios e entrevistas. Um lounge diferenciado que serviu de palco para o lançamento da Revista Café Espacial nº9. O mais lindo de tudo é a interação: além de quadrinhos, cinema, fotografia e literatura, essa edição conta com uma entrevista com a banda Camarones Orquestra Guitarrística.

Ainda no benquisto porão, tivemos a banquinha Fora do Eixo, que foi destrutiva com o Duparah e Sergio Chaves comandando. O Rodrigo mandando ver na discotecagem no porão usando como material bandas alternativas do circuito FdE. A Thais Polidoro, Thais Lopes e Lidia Bardaonil e outras gurias armando a maior loja de roupas com stencils e roupas de brechó, parceria massa que vai dar muito que falar! Na cobertura, Paula Mello e Gabriel Coisofazendo os obturadores das câmeras fritarem. Na portaria guardando o front do evento, Libu recepcionando nossos ilustres convidados anônimos.

“Banquinha?” “Lojinha?”, foto por Gabriel Coiso

Além dos membros caipiras, tivemos a participação de Marcos Vallini na cobertura colaborativa, demonstrando que o espaço do evento é para a participação de todos os interessados em arte.

Dito e feito. A noite terminou com todo mundo já querendo saber quando é a próxima.  Marília entra no circuito, deixando todo mundo doido e Fora do Eixo! E eu indo dormir as 8 da matina cansado, mas realizado! Maravilha!

http://caipirabruto.wordpress.com/

Esta entrada foi publicada em Clipping. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta